Você já parou para pensar como é conviver com restrições alimentares? Cada indivíduo é único em sua maneira de ser. O mesmo acontece com nosso organismo. Alguns têm metabolismo mais lento e costumam engordar, enquanto outros perdem peso com facilidade. 

Essas particularidades também têm reflexo na alimentação. Algumas pessoas podem comer de tudo, outras precisam ficar longe de certos alimentos devido à intolerância.

A intolerância alimentar sintomática acontece quando o organismo é incapaz de digerir determinado nutriente, provocando alergia alimentar. 

A alergia é causada quando o sistema imunológico reconhece - de forma equivocada - uma substância como “inimiga” do organismo, provocando reações adversas.

Essas substâncias, também chamadas de alergênicos, podem estar presentes em diversos alimentos. No entanto, as restrições alimentares mais comuns são a intolerância à lactose e a intolerância ao glúten. 

Intolerância à lactose

É a incapacidade parcial ou completa do organismo em digerir a lactose (açúcar presente no leite e seus derivados). Quando a digestão é completa, o corpo humano produz uma enzima chamada lactase. 

Pessoas com intolerância à lactose têm dificuldade em produzir a enzima. Com isso, o organismo produz reações alérgicas. Os sintomas podem variar de acordo com a quantidade de leite e derivados ingeridos pelo indivíduo, causando distúrbios digestivos. 

A intolerância à lactose é mais comum em adultos. No Brasil, estima-se que 35% da população maior de 16 anos tenha alergia a essa substância. O que representa 53 milhões de brasileiros. 

Intolerância ao glúten

O glúten é uma proteína encontrada em cereais como cevada, malte, centeio e trigo. A dificuldade em digerir essa substância acaba danificando as paredes do intestino delgado, causando problemas de digestão. 

A intolerância ao glúten pode ser de dois tipos: a  Sensibilidade ao Glúten Não Celíaco (SGNC) e a doença celíaca.

A SGNC é a dificuldade em digerir glúten, causando problemas de digestão. Já a doença celíaca provoca uma reação do sistema imunológico, sendo mais grave que a primeira.

Vale ressaltar que a intolerância ao glúten é permanente e não tem cura. Por isso, é recomendado retirar completamente essa substância da alimentação. 

Por sorte, o setor alimentício já oferece opções de pães e biscoitos produzidos com fécula de batata ou de mandioca em substituição ao glúten. Assim, os consumidores e as lojas de alimentação saudável têm investido nesses produtos. 

Porque você deve estar atento às restrições alimentares

Produtos mais saudáveis e isentos de determinadas substâncias são fundamentais quando há necessidade de mudar a alimentação. Pessoas com algum tipo de intolerância precisam se adaptar aos impactos de uma dieta restritiva no estilo de vida. 

Mas, por que você deve estar atento às restrições alimentares? Em primeiro lugar, para preservar a saúde. Depois, para manter a qualidade de vida.

Conhecendo seu organismo é mais fácil optar por opções saudáveis e deliciosas em todas as refeições, evitando o desconforto causado por uma digestão difícil. 

Produtos sem glúten: entenda o porquê do aumento da procura desses produtos

Quando o assunto é saúde, a digestiva é uma das principais preocupações dos consumidores. É o que aponta a pesquisaSaúde digestiva: alavancando as tendências do consumidor”, publicada pela Euromonitor International, plataforma para inteligência global de mercado. 

Paralelamente, os diagnósticos de alergias decorrentes de intolerâncias alimentares, de síndrome do intestino irritável e outras doenças crônicas aumentam. A sensibilidade a alguns ingredientes têm influenciado as preferências alimentares.

De acordo com um estudo global realizado pela Nielsen, mais de um terço da população mundial, cerca de 36%, afirmam ter alergia (ou intolerância) a um ou mais gêneros alimentícios. Países como Estados Unidos, Reino Unido e Alemanha aumentaram as vendas no varejo de produtos específicos para pessoas com alguma sensibilidade alimentar. 

Por isso, a  oferta de produtos sem glúten aumentou consideravelmente nos últimos anos. Seja nas grandes redes de supermercados ou em lojas especializadas, o consumidor sempre encontra opções que atendem suas necessidades. 

Fato é que as restrições alimentares são reconhecidas pela população e os consumidores buscam alternativas para comer bem. As dietas sem glúten, por exemplo, estão cada vez mais difundidas entre pessoas que buscam qualidade de vida. 

Para seguir essa dieta, basta excluir alimentos à base de trigo e substituí-los pelas seguintes opções:

  • Milho e derivados (fubá, farinha ou amido de milho);

  • Mandioca (polvilho azedo ou doce, farinha);

  • Arroz e derivados (farinha de arroz);

  • Batata (fécula de batata).

Mas, atenção. Nutricionistas orientam que a dieta sem glúten deve ser seguida, preferencialmente, por pessoas com doença celíaca. Muitos acreditam que a dieta sem glúten favorece o emagrecimento. No entanto, não existem comprovações científicas para tal afirmação.

E quais são os benefícios dessa troca saudável para as pessoas sensíveis ao glúten? Em primeiro lugar, essa proteína pode ser totalmente dispensável da alimentação, pois não oferece nenhum benefício. Portanto, pessoas com intolerância ao glúten não passarão pelo desconforto ocasionado pela ingestão dessa substância. 

Produtos sem lactose: conheça a diversidades de alimentos desse tipo

O leite e seus derivados são amplamente consumidos por conta do valor nutricional de proteínas, vitaminas e minerais. A ingestão desse alimento é recomendada para adequar no organismo a quantidade de cálcio, responsável pela formação e manutenção da estrutura óssea. 

No entanto, muitas pessoas adultas têm diagnóstico clínico confirmado de intolerância à lactose ou de sensibilidade à proteína do leite. Por isso, os produtos sem lactose têm grande procura no mercado consumidor.

Fabricados especialmente para pessoas com intolerância a essa substância, esses produtos são bem-vindos na mesa de quem quer manter a saúde ou nas prateleiras de empreendimentos que se preocupam em ofertar variedade aos seus clientes. 

Mas, os produtos sem lactose são nutritivos? De acordo com nutricionistas, sim. O leite sem lactose ou com baixo teor dessa substância não perde nutrientes. Esses produtos especiais conservam o mesmo valor calórico e a oferta de aminoácidos e vitaminas essenciais.

Portanto, podem ser consumidos sem qualquer preocupação e com a vantagem de não provocarem problemas em pessoas com intolerância. 

Alternativas de produtos que se atentem a isso

Com o aumento da procura, aumenta também a oferta de produtos específicos para pessoas com intolerância ao glúten ou à lactose. No caso do leite, ele pode ser substituídos por leites vegetais feitos de linhaça, castanha, coco, amêndoas ou semente de girassol. 

Já as opções para o glúten são ainda mais variadas e mais fáceis de encontrar. Amido de milho, chia, fécula de mandioca ou de batata, aveia, quinoa, fubá, farinha de linhaça e amaranto em flocos são algumas das opções. A biomassa de banana-verde também tem sido utilizada pela indústria para substituir o glúten.

A Domelly se orgulha em oferecer ao mercado produtos específicos para pessoas com algum tipo de intolerância alimentar. É o caso da linha Atitude, bastante procurada por ser zero glúten, nem lactose na composição dos biscoitos. 

A linha Atitude conta com biscoitos em quatro deliciosos sabores: Batata Doce, Cebola e Salsa, Amendoim e Chocolate. E o melhor: todas as versões vêm sem adição de açúcar.

Em embalagens de 100 gramas, a linha Atitude é perfeita para acompanhar você em todos os lugares. Clique aqui e conheça os biscoitos sem glúten da Domelly. Afinal, para viver bem, você precisa de atitude.